Palestra para Motoristas

Palestra para Motoristas
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Feliz e Próspero 2016!

video
Arquivo: José Rovaní, 2015.

Olá amigo motorista,

Tenha um Feliz e Próspero 2016 com muitas oportunidades de trabalho e realizações no seu projeto de vida. 

Mantenha-se atualizado e sintonizado com a sua rede de contatos para perceber as melhores oportunidades!

Seja um motorista preparado para atender as diferentes demandas do mercado de trabalho! 

Grande abraço e Boa viagem!

José Rovaní
Contato: http://highpluss.com.br/motorista-comprometido/

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

DAF define novas estratégias para 2016

daf cf 85
Entrevista com o presidente da DAF Caminhões Brasil, Michael Kuester, que revela quais as estratégias para encarar o mercado, que apresenta retração de 45% nas vendas em relação a 2014. Meta é dobrar as vendas no próximo ano
Manter um quadro enxuto para otimizar os gastos e buscar expandir o mercado com os produtos já existentes. Estas são algumas das estratégias adotadas pela DAF para 2016. A montadora prevê um ano semelhante ao que foi este, de ajuste de mercado. O presidente da DAF, Michael Kuester, recebeu a equipe de reportagem na última semana em sua sala na fábrica, para uma entrevista exclusiva, onde ele revelou mais detalhes sobre os planos da empresa para os próximos anos, lançamentos, falou sobre a crise, desenvolvimento de parceiros locais, entre outros detalhes. Confira:
Pergunta: Segundo dados da Fenabrave, 350 caminhões foram emplacados até outubro. Como o senhor avalia o mercado deste ano?
Michael Kuester: A expetativa era realizar 500 vendas. Vamos emplacar entre 400 e 450 caminhões até o fim do ano. O mercado é quase 60% menor que ano passado no nosso segmento. De forma geral, estamos crescendo na contramão do mercado. Nós fizemos, em 2014, 250 vendas. Vamos não duplicar, mas vender uma porcentagem a mais que no ano passado. Não ficamos contentes, porque nossa expectativa era maior, mas em um ano complicado para todo mercado, estamos satisfeitos.
Pergunta: Quais as perspectivas, a meta de vendas para este próximo ano?
MK: Nossa expectativa é duplicar a venda, chegar a mil ou 1,2 mil caminhões, com novos produtos, mais opções para o mesmo produto que temos – na Fenatran falamos de ter maior variabilidade no produto, mais opções de tanques, entre-eixos, cabines, como a Super Space Cab; agora também temos o CF que vende 4X2, 6X2, e vários motores diferentes que não brigavam em segmentos até agora.
Pergunta: Como a DAF vê o mercado para os próximos anos?
MK: Estamos confiantes. O mercado depende de tempo. Estamos aqui, no nosso patamar, vamos crescer; não crescemos como queremos, mas todo o investimento que fizemos aqui, todo o prazo será alongado. Temos confiança total no caminhão que está bem acertado aqui. Agora é focar em conquistar clientes um por um e, realmente, expandir conforme mercado nos permite. O objetivo é manter os custos o mais enxuto possível até uma situação de mercado que prevemos que vai ser muito similar a esse ano. O mercado não nos permite fazer muita coisa agora. É um mercado muito complexo.
Pergunta: A aceitação da marca DAF no Estado do Paraná, em função da fábrica ser em Ponta Grossa, é maior, assim como as vendas na região?
MK: Não verdade não. O mercado principal nosso é o Rio Grande do Sul. E os clientes daqui compraram muito menos nesse ano. Os clientes locais foram mais afetados que os demais. Temos mais demanda no Rio Grande do Sul que no Paraná; nossos principais clientes estão lá, vários com 20 ou 30 caminhões.
Pergunta: Atualmente, quantos caminhões são montados por dia?
MK: São dois por dia, agora. E com expectativa de subir o ano que vem, em janeiro. Ainda não está outorgado, mas estamos planejando isso agora.
Pergunta: Como está o desenvolvimento de fornecedores locais? Já há parcerias com empresas daqui, ou então a negociação para fábricas se instalarem na cidade?
MK: Temos vários parceiros que são da região de Curitiba, de varias regiões perto daqui. Fornecedor local não temos ninguém em Ponta Grossa mesmo, mas todos os serviços são locais (transporte, identidade visual, gráficas, foto e vídeo, entre outros). Mas nossa expectativa é que quando tivermos mais volume, teremos mais parceiros aqui. Nosso pequeno volume não justifica. Tem planos de fornecedores, mas ninguém confirmou. A maioria dos nossos fornecedores são do Paraná, Santa Catarina e São Paulo.
Pergunta: O terreno onde está instalada a DAF é bastante amplo. Ele pode receber, futuramente, a instalação de fábricas de fornecedores, como ocorre em outras plantas automotivas?
MK: No terreno não. Mas, fora, sim. Tem o projeto para o futuro de que, aqui na frente mesmo, ter um parque industrial. Imagino que vão se instalar lá, mas não sei.
Pergunta: O início da produção de motores na cidade não era esperado para esse ano, certo? Por que houve essa necessidade?
MK: Estava nos plano nossos desde sempre. Nos planos iniciais, era de ter essa área fora da mesma linha de fábrica. Mas, por necessidade de manter conteúdo nacional, e redução de custos, principalmente, antecipamos esse investimento. O câmbio e a inflação mesmo nos forçaram a acelerar esses investimentos.
Pergunta: Devido a essa inflação e cambio, há previsão da antecipação de algum novo investimento?
MK: Não. Obviamente, no que vem, vamos ter mais produtos, estamos em plano de desenvolvimento. Falamos de ter mais variabilidade no produto, estamos agora fazendo um caminhão para fora de estrada, para cana e madeira. Não envolve investimento na fábrica em si, mas envolve capital e custo para desenvolver.
Pergunta: Esse modelo de caminhão ‘off-road’, seria da qual linha?
MK: Será um CF reforçado, com suspensão e eixos mais aptos para essas estradas ‘fora de estrada’ mais complicadas. Que começa com a base já vista do CF, mas o trem de força, a suspensão… é um produto novo que tem que ser testado, desenhado e encontrar fornecedores locais para poder homologar.
Pergunta: Para próximo ano, além desse ‘off-road’ haverá novas verões? Quando esse ‘fora de estada’ deve ser lançado?
MK: Vamos fazer engenharia local para adaptar o produto para com coisas que precisamos fazer: mais opções de tanque de combustível, de entre-eixos, uma opção ou outra, mas, de forma geral, estamos focados em segmentos. E há mais outras coisas que estamos começando a fazer para os próximos anos. Mas o maior esforço estamos fazendo agora nesse caminhão fora de estrada, que deve ser testado ano que vem e lançado em 2017. É um processo longo, de dois ou três anos para homologar. E não pode ter problemas lá, porque as cargas são com mais de 100 mil quilos.
Pergunta: E o modelo ‘LF’, como está o desenvolvimento?
MK: Faz parte de expansão de linha de produto. Esse plano está dependendo também de mercado e, obviamente, com o mercado bombando estaremos antecipando. Agora, está acontecendo o contrário. Estamos alongando o processo de investimento de novos produtos por consequência de mercado. Temos um mercado enorme onde atua o CF e XF que temos que conquistar. Esse é um desafio nosso.
Pergunta: Lançá-lo em 2016 está descartado?
MK: Temos que manter o foco no que temos, não com o que não temos. Esse segmento que temos hoje é um mercado enorme. Mesmo nessa dimensão de mercado que tem agora, dá para correr mais anos ainda.
Publicado em 07/12/2015 no Blog do Caminhoneiro.

sábado, 14 de novembro de 2015

Transporte no Aeroporto de Congonhas - SP.

Arquivo: José Rovaní, 2015.


Transporte no Aeroporto de Congonhas sendo realizado pelos ônibus fabricados na Mascarello do Paraná. 

Gostei da qualidade do produto e funcionabilidade. 

Motorista bem treinado para prestar um ótimo serviço.

Vivemos tempos de novas marcas! 



video
Arquivo: José Rovaní, 2015.

Abraço a você visitante do blog e boa viagem!

José Rovaní Kurz
Autor do Livro Motorista Comprometido
Contato: treinamentos@highpluss.com.br

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Pesquisa de Segurança 2.0

eu-rodo-135-seguranca-03
O simulador de direção do VTI (Instituto Nacional Sueco de Pesquisa em Estradas e Transporte) é considerado um dos mais avançados do mundo. A Volvo Trucks é um dos parceiros do projeto e trabalha no simulador para desenvolver os caminhões mais seguros do mundo.
O dispositivo fica sobre dois trilhos cruzados, o que permite criar a experiência de dirigir para frente e para trás, bem como virar. A cabine também pode se mover na vertical, numa experiência bem realista.
eu-rodo-135-seguranca-04Vários computadores registram como os motoristas dirigem, observam e se posicionam na estrada. A cabine está equipada com 10 câmeras. Algumas ficam no para-brisa, na frente do condutor. Elas usam luz infravermelha para gravar e registrar todos os movimentos dos olhos. Assim, os pesquisadores podem ver exatamente onde, quando e com que frequência o motorista olha para a estrada e também para baixo, para o telefone ou o GPS, por exemplo. Outras câmeras gravam tudo o que ele faz, desde manobrar o volante até os movimentos dos pés nos pedais.
Fonte: Volvo
Publicado em 28/10/ 2015 no Blog do Caminhoneiro.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Motoristas que cursaram Tecnologia em Logística

Arquivo: HighPluss Treinamentos.


Aproveito a oportunidade para homenagear os diversos profissionais que durante o dia exerciam atividades na condição de motoristas do transporte rodoviário em Joinville e as noites cursaram o Curso de Tecnologia em Logistica.

Foi muito gratificante conhecer a realidade dos motoristas que sempre demonstraram muito interesse, comprometimento e participação em socializar seus conhecimentos e experiências nos temas estudados sobre logística.

Sem dúvida, uma jornada dupla na vida de cada motorista exigiu muito empenho e vontade em adquirir novos aprendizados, para isso foi necessário que aprendesse a planejar seu tempo no sentido de que pudesse aproveitar ao máximo os estudos e não comprometesse suas atividades profissionais na empresa.

O Curso Superior de Tecnologia em Logistica é indicado para os profissionais que já exercem uma atividade profissional e tem interesse em ampliar o saber e evoluir no seu projeto de vida. São dois anos de estudos, onde aprendem diferentes conteúdos sobre ciências humanas, ciências sociais, ciências exatas, ciências contábeis e além de desenvolver sua rede de relacionamento profissional.

A realidade atual exige cada vez mais que o profissional invista em novos aprendizados e a condição do motorista em regressar a sala de aula permite que as oportunidades sejam mais bem aproveitadas no sentido de ter uma carreira profissional sustentável e possa fazer a diferença no exercício profissional.

É importante para o motorista estar aprendendo sempre, porque permite que a sua carreira profissional tenha um nível elevado de empregabilidade e continue prosperando no seu projeto de vida.  

A valorização do motorista inicia-se na sua maneira de pensar e agir para com a sua vida pessoal e estendida ao exercício profissional. É através da educação pessoal e profissional em buscar a amplitude do seu saber, que irá permitir a visualização de novas oportunidades e aprender a fazer escolhas para melhorar a sua qualidade de vida e de sua família.

Os motoristas que conheci no Curso de Tecnologia em Logística, depois de formados obtiveram muita prosperidade no exercício profissional e alguns deles exercendo o seu lado empreendedor nas suas próprias empresas.

Parabenizo aos motoristas que conheci em sala de aula e acreditaram que investir na educação pessoal e profissional, faria a diferença na vida de cada profissional.

Muito agradeço aos motoristas, que sempre estiveram presentes e participativos nos diferentes desafios propostos a cada encontro em sala de aula.


Você, Motorista tenha muita luz para guiar o seu projeto de vida!

José Rovaní Kurz, Consultor técnico e Professor universitário.
Autor do Livro Motorista Comprometido.
Contato: treinamentos@highpluss.com.br

domingo, 11 de outubro de 2015

Startup catarinense inicia campanha para viabilizar produção de veículo elétrico colaborativo

ambiente_1920

A mobilidade urbana do futuro será elétrica, intermodal, sustentável, compartilhada e inteligente. Pensando nisso e nos desafios impostos pela (i)mobilidade urbana na rotina dos brasileiros, uma startup catarinense incubada no INAITEC, na Pedra Branca, em Palhoça, desenvolveu o PodCycle – veículo urbano inteligente projetado para duas pessoas e exclusivo para sistemas de uso compartilhado.
Para alavancar a primeira parte do projeto, foi lançada no dia 23 de setembro uma campanha de financiamento coletivo no site Catarse, com meta inicial de R$ 68 mil. “O crowdfunding é uma ferramenta cada vez mais comum no Brasil, que ajudou a tornar realidade diversos projetos e que a cada dia nos aproxima mais da realidade norte americana, onde comumente são viabilizados projetos altamente tecnológicos, ousados e com grande potencial ou interesse da sociedade”, afirma Brener Martins, graduando em Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e um dos responsáveis pelo início do projeto, em 2012.
O objetivo da campanha é levantar recursos para a finalização da construção do veículo, que já está em andamento na Pedra Branca, e a realização de um tour com a primeira unidade construída pelas principais cidades brasileiras. Desta forma, os apoiadores poderão conhecer e, inclusive, dirigir o veículo.
Para Rodrigo Magri, formado em Engenharia Mecânica pela UFSC e coautor do projeto, mais do que divulgar o PodCycle, a ação também servirá para pulverizar o conceito do uso compartilhado de automóveis. “O tour também funcionará como uma forma de divulgação do compartilhamento de veículos elétricos para o público geral, além de prospecção de oportunidades, contribuindo na busca por investidores, parceiros e conversando com representantes do poder público, demonstrando a todos a inteira viabilidade da adoção massiva de veículos elétricos no Brasil para auxiliar na resolução de problemas de mobilidade”, explica.
Para apoiar a ideia, basta entrar no site do projeto (catarse.me/evpodcycle) e escolher um valor dentre as opções disponíveis. Cada cota, que varia de R$ 15 a R$ 900, tem uma recompensa – que vai desde a gravação a laser do nome do apoiador no chassi do automóvel a uma miniatura 3D do veículo, acompanhado de uma carta de agradecimento assinado a mão pelos membros da equipe responsável pelo projeto.  A campanha terá duração de 60 dias.
Sobre o PodCycle
O projeto foi concebido depois de anos de trabalho na e3, uma das equipes de competição do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina. Ganhou força após a participação de alguns de seus idealizadores no I Fórum de Mobilidade Elétrica Brasil-Ingolstadt realizada em Joinville, em 2013, e foi se consolidando nos últimos anos. O PodCycle foi vencedor do Desafio Sebrae-SC de Plano de Negócios de 2012,  recebeu, em 2014, o Prêmio Sinapse da Inovação promovido pelo Estado de Santa Catarina, Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), Sebrae-SC, com realização pela Fundação CERTI.
Atualmente, a equipe envolvida no projeto é diversa e internacional, formada por cerca de 20 integrantes – entre eles designers, artistas 3D, especialistas em impressão 3D, engenheiros, cientistas da computação, empreendedores visionários e jornalistas. Oriundos de equipes universitárias de competições como Baja, Formula e SEMA, os profissionais envolvidos foram convidados a palestrar no Open Hardware Summit 2013, realizado no Masachussets Institute of Technology (MIT), participaram do premiado documentário Road to Houston, e fizeram pesquisas em respeitados institutos e empresas do segmento.
Fonte: Divulgação
Publicado em 06/10/2015 no Blog do Caminhoneiro.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Ônibus elétrico chinês articulado é testado em Curitiba

bus articuled BYD
Ônibus elétrico chinês articulado é testado em Curitiba.
Foto: Luiz Costa/SMCS
Veículo já rodou na cidade de São Paulo para onde é esperada unidade com a configuração que permite testes com passageiros
ADAMO BAZANI
O ônibus elétrico chinês articulado, modelo K 11, da fabricante BYD – Build Your Dream, está sendo testado nesta terça-feira, dia 06 de outubro de 2015, na linha Interbairros II, uma das mais movimentadas de Curitiba.
O ônibus só depende da energia armazenada nas baterias para se movimentar e na operação não emite poluição. O nível de ruído é baixo.
O veículo cuja carroceria não segue as especificações da legislação brasileira, só circula com galões de água simulando o peso dos passageiros.
A linha Interbairros II tem trajeto total de 42 quilômetros atendendo pontos nas ruas, e os terminais Capão Raso, Hauer, Capão da Imbuia, Cabral e Campina do Siqueira. Por dia, são 68 mil passageiros transportados no trajeto.
O ônibus da fabricante chinesa, que deve inaugurar nas próximas semanas uma planta industrial em Campinas, no interior paulista, também circulou pela cidade de São Paulo.
A BYD prepara com técnicos da SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora do sistema da capital paulista, um modelo articulado cuja carroceria atenda às especificações da cidade, para que os testes sejam com passageiros.
O ônibus articulado que foi testado em São Paulo e agora está em Curitiba tem 18,9 metros de comprimento, o tempo de recarga pode ser de até três horas e, completamente carregadas, as baterias dão uma autonomia de 250 quilômetros.
No ano passado, a BYD testou em Curitiba um ônibus elétrico padron, de 12 metros de comprimento.
Em nota, a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., gerenciadora do sistema da capital paranaense, destacou pontos positivos e negativos em relação ao veículo.

“Nos testes feitos no ano passado com o modelo padrão, o ônibus elétrico teve um desempenho considerado bom pelos técnicos, no que diz respeito ao custo por quilômetro, emissões de poluentes, consumo e disponibilidade operacional. Os pontos negativos ficaram por conta do tempo necessário para abastecer, peso e autonomia.” – informou a gerenciadora que ainda acrescentou que, em parceria com a Volvo, deve trazer novos elétricos-híbridos comuns e elétricos-híbridos articulados no ano que vem.
Atualmente, operam ônibus elétricos-híbridos que foram alvos de polêmicas entre Urbs e TCE– Tribunal de Contas do Estado do Paraná a respeito de custos operacionais e de aquisição, que inicialmente seriam maiores em comparação aos ônibus a diesel.
O ônibus elétrico articulado ficará exposto na quarta-feira (7), das 12h as 17h na Urbs, na Rodoferroviária; e na quinta e sexta-feira (8 e 9) das 9h às 17h, na Praça Rui Barbosa.
Publicado em 06/10/2015 por Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Caminhões bicudos ainda tem força na China

Chenglong T7 450 6x4 (3)
A China segue uma tendência própria de mercado de caminhões, diferente do Brasil, que adotou o modelo europeu para os pesados. Recentemente, a empresa Dongfeng começou a testar seu novo modelo, chamado Chenglong T7 450 6×4. Esse caminhão tem vocação rodoviária, é equipado com motor Dongfeng Cummins ISZ450.41 e tem suspensão por molas parabólicas.
Chenglong T7 450 6x4 (2)O modelo é mais um entre dezenas de modelos bicudos vendidos na China, que tem o maior mercado de caminhões do planeta, com vendas anuais superiores a um milhão de unidades. A China também tem uma das maiores malhas de rodovias pavimentadas do planeta, e transporte rodoviário como principal modal.
O projeto começou em 2013, quando a economia da China estava em crescimento constante. Com o crescimento econômico acelerado, o país começou a utilizar cada vez mais caminhões, optando por modelos de médio conforto, com facilidade de manutenção e bom espaço na cabine, já que muito caminhões são dirigidos por dois motoristas, para não parar.
Chenglong T7 450 6x4 (1)
Publicado em 08/09/2015 no Blog do Caminhoneiro.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Pesquisa MercadoLivre Classificados mostra que o consumidor de caminhões preza pela potência do motor

Scania P 200 - Powered by MAN - Motor
Pesquisa online realizada com 25 mil internautas brasileiros interessados no segmento de Caminhões revela as preferências dos consumidores de pesados (caminhões). A marca preferida dos caminhoneiros é a Mercedes-Benz, apontada por 32% dos respondentes. A Volvo vem em segundo, com 19%, logo seguida pela Volkswagen (18%) e a Scania (17%). Ford, Iveco, Hyundai e International tiveram a preferência de 5%, 4%, 3% e 1%, respectivamente. Entre os motivos de admiração da marca, o principal é a história da marca (47%). O melhor motor é o segundo (25%), seguido por design e acabamento (21%) e melhor preço (16%).
Já entre os motivos de compra de um caminhão, o estado geral de conservação do veículo foi o item mais citado na pesquisa (76% de menções), seguido pela disponibilidade de peças no mercado (72%); pelo preço (61%) e a potência do motor (59%). Marca, quilometragem, valor de revenda e equipamentos e acessórios foram também apontados com 53%, 49%, 50% e 39%, respectivamente.
Em relação ao valor a ser investido para trocar ou comprar um caminhão, a maioria (55%) aponta que irá investir de R$ 51 mil a R$100 mil; 31% entre R$ 101 mil e R$ 200 mil; 9% entre R$ 201 e R$ 300 mil e 4% acima de R$ 300 mil.
“Esta pesquisa mostra a diferença entre admirar uma marca e comprar uma marca”, afirma Caio Ribeiro, diretor do MercadoLivre Classificados. “A compra de um caminhão é uma decisão bastante racional: o que vale é o custo-benefício, o que inclui a potência do motor. Este último fator (o motor), aliás, se mostrou estratégico na pesquisa: foi o único que apareceu bem mencionado tanto como motivo de admiração quanto de compra”, completa.
Pesquisar sobre as marcas e os modelos e comparar preços são os principais motivadores dos respondentes para usarem a Internet no processo de compra ou venda de um caminhão, com 96% de citações cada. A busca por lojas/agências e por pessoas físicas também teve 89% de citações.
Outros pontos interessantes são:
· 95% apontam a experiência de comprar/vendar/buscar na internet como Muito Positiva ou Positiva;
· 49% afirmam utilizar as redes sociais para maximizar as vendas de seus caminhões, e 39% também comunica a familiares, amigos e pessoas próximas;
· 46% dos respondentes já utilizaram o MercadoLivre para anunciar, comprar ou pesquisar sobre um caminhão
Publicado em 01/08/2015 no Blog do Caminhoneiro.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Homenagem ao Dia do Motorista 2015


Caro Motorista,

Parabenizo a você pelo Dia do Motorista (25/07), que essa data seja um momento de reflexão para todos no sentido de refletirmos sobre o que queremos para o presente e o futuro do motorista dentro da sociedade.

Vivemos num mundo de mudanças rápidas que exige de cada motorista um nível mais elevado de educação pessoal e profissional para entendermos o que está acontecendo ao nosso redor e buscarmos melhores condições em nosso trânsito na cidade e na estrada. 

Investir em novos aprendizados nos permite conhecer outras realidades para que possamos fazer as melhores escolhas pessoais e profissionais. Quando aceitamos passivamente as escolhas dos outros para nós, com certeza teremos muitas dificuldades para vivermos com dignidade a nossa vida em sociedade. 

As dificuldades são motivos que nos levam a buscar novos aprendizados para que possamos decidir sobre as melhores escolhas para a nossa vida. O motorista esclarecido em saber mais sobre o exercício profissional, sem dúvida, fará muita diferença no ambiente onde presta seus serviços de transporte.  

A busca do melhor e a respectiva valorização profissional nasce dentro de nossa mente, para isso necessitamos aprender mais, mais e mais sobre a educação pessoal e profissional no sentido de vencermos nossa linha de conforto e buscarmos a superação sempre em busca de uma melhor qualidade de vida. Acredite e Pratique!

Você Motorista, seja um multiplicador da educação no trânsito e seja um Motorista que exercite sua plena inteligência a favor de um ambiente mais seguro para todos que estejam ao seu redor. Seja um Motorista Feliz!!!

Grande abraço,

HighPluss Treinamentos
Contato: treinamentos@highpluss.com.br
Joinville - SC. 

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Gerenciamento do Transporte Rodoviário de Cargas - Turma de Logística - FCJ - Joinville

Arquivo: José Rovaní, 2015.

Ao finalizar o semestre 2015/1 de estudos sobre Gerenciamento do Transporte Rodoviário de Cargas que ministrei para os alunos do Curso de Tecnologia em Logística na Faculdade Cenecista de Joinville - FCJ, aproveito a oportunidade para parabenizar aos acadêmicos da Turma de Logística - 3a. fase pelos excelentes aprendizados gerados durante os diferentes encontros em sala, bem como durante as visitas realizadas nas empresas.


É importante destacar, que a FCJ possibilitou um excelente apoio pedagógico e infraestrutura para que todo o planejamento das aulas fosse 100% cumprido. As reuniões pedagógicas ao longo do semestre permitiram a somatória de muitos valores socializados com o foco no melhor aprendizado dos acadêmicos.

Muito agradeço as empresas Transportes Aceville, OpenTech e a Incubadora Softville pela oportunidade em possibilitar excelentes aprendizados aos acadêmicos. 

Desejo aos futuros profissionais da Turma de Logística da FCJ um excelente semestre 2015/2 com muita luz e sabedoria na condução do projeto de vida de cada um.

Grande abraço,

Prof. José Rovaní

terça-feira, 30 de junho de 2015

30/06 - Dia do Caminhoneiro

Foto: Nelsi Kurz.

Parabenizo a você Caminhoneiro pelo dia 30/06, sem dúvida necessita ser lembrado pelo seu nobre trabalho em dirigir caminhões e pelo transporte rodoviário de cargas em todo o Brasil.

Que neste dia seja um momento de reflexão para toda a sociedade brasileira, para que possa ser repensado o futuro que queremos para o Caminhoneiro dos tempos atuais.

Que tenha muita luz, sabedoria e coragem para seguir seu projeto de vida!

Grande abraço e seja um Caminhoneiro Feliz!

José Rovaní
HighPluss Treinamentos

terça-feira, 2 de junho de 2015

Caminhões autônomos vão mudar radicalmente o setor de cargas

Mercedes-Benz revela o Future Truck 2025 (25)
A direção autônoma de automóveis vai mudar radicalmente o transporte rodoviário de cargas num futuro próximo. Segundo o secretário-geral do Fórum Internacional de Transportes (ITF), José Viegas, é esse o setor em que primeiro deve ocorrer a massificação dos veículos que não precisam necessariamente de um condutor.
De acordo com Viegas, três caminhões autônomos da alemã Mercedes-Benz já conseguiram autorização do governo e operam comercialmente nas estradas do Estado americano de Montana. A princípio, os caminhoneiros estão lá, acompanhando o processo, o que não deve ser mais necessário em dois ou três anos.
“Isso vai ter importância decisiva na redução os custos do transporte rodoviário de mercadorias”, disse Viegas. “Hoje, na Europa, os caminhoneiros representam cerca de metade do custo do frete de longa distancia.”
Para Viegas, um dos principais limitadores desse tipo de transporte é o número de horas de trabalho do motorista. “Se você não tem motorista, essa limitação não existe. Então, você vai poder ter caminhões que vão circular 23 horas por dia”, afirmou.
Questionado sobre a satisfação os sindicatos de caminhoneiros com tal inovação tecnológica, Viegas admitiu que “isso traz complicações dramáticas no emprego, mas não adianta resistir”.
Cabines do futuro (3)“Do Rio de Janeiro a Salvador, por exemplo, são 3,000 km. Se você tiver essa tecnologia e eu não tiver, você vai ter um custo que é 30% a 40% abaixo do meu. No dia seguinte, eu estou fora do mercado”, afirmou. “É por isso que eu digo que vai ser uma propagação muito mais rápida (dessa tecnologia) no caminhão do que no automóvel particular.”
Viegas sugere a criação de um fundo para ajudar na recolocação e requalidicação dos caminhoneiros, que tendem a desaparecer com a nova tecnologia. “Por que, em vez de tentar resistir a essa força de progresso que é inevitável, os sindicatos não dizem: vamos pegar em 20% essa poupança e afetar ela a um fundo que permita fazer a qualificação e a reforma antecipada dos motoristas?”, questiona.
Segundo ele, a indústria está tentando convencer a União Europeia e a associação dos transportadores europeus a começar a trabalhar juntos num projeto sobre o tema. “Tem de ter, desde já, o envolvimento dos sindicatos na busca da solução e não no evitar desse desenvolvimento, que é inevitável”, disse. “Isso é algo que tem de ser tratado antes de a tecnologia estar no mercado, não depois.”
Publicado em 02/06/2015 no Blog do Caminhoneiro.