Palestra para Motoristas

Palestra para Motoristas
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Sonolência ao volante aumenta em quatro vezes os riscos de acidentes de trânsito

sono ao volante
Uma novidade tecnológica pode ter atraído a atenção e a utilização de motoristas para evitar cochilos na direção. No entanto, é preciso cautela. Uma marca de café norte-americana desenvolveu um aplicativo para smartphones que faz um reconhecimento visual dos olhos do condutor e percebe quando suas pálpebras ficam mais lentas e prestes a se fecharem. Nesse momento, ele aciona uma música temática para alertar o motorista e evitar que ele durma. Além disso, o aplicativo informa a cafeteria mais próxima do local.
No entanto, segundo o diretor do Departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Dirceu Rodrigues Alves Júnior, o aplicativo – assim como café, energético e outros recursos – pode funcionar, mas por pouco tempo. “Por uns 15 minutos, seria até indicado. É tempo suficiente até que ele encontre um local seguro para fazer um descanso”, explica. O que realmente funciona, diz o médico, são, pelo menos, sete horas e 40 minutos de sono por dia.
O médico alerta que, caso o motorista insista na utilização de aplicativos e outros artifícios para driblar a sonolência, ele coloca em risco a própria vida e a de várias outras pessoas. Segundo ele, o sono aumenta em quatro vezes as probabilidades de se causar um acidente  gravíssimo em vias urbanas e, principalmente, nas rodovias. “Fizemos um estudo que revelou que 54% dos motoristas profissionais afirmaram ter tido ‘micro sonos’ [as cochiladas], durante a atividade veicular”.
Para evitar os cochilos na direção, o diretor da Abramet sugere, além do mínimo de quase oito horas diárias de sono, paradas a cada duas horas consecutivas de condução. Essas pausas, segundo Dirceu Rodrigues, devem durar entre 10 e 20 minutos, quando os motoristas devem fazer uma pequena caminhada, alongar membros superiores e inferiores e coluna. “Não existe substitutivo para o sono. Tomar café ou energético ou usar um aplicativo não vão resolver o problema, apenas vão sacrificar o organismo”, explica.
As causas para a sonolência podem ser devido à privação de sono ou à Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono. Em relação à segunda causa, o motorista deve ser mais cauteloso e procurar um especialista. Caso confirmado o diagnóstico, ele ficará impedido temporariamente de dirigir até que ele faça o tratamento recomendado.
Publicado em 24/09/2013 no Blog do Caminhoneiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário