Palestra para Motoristas

Palestra para Motoristas
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Greve – Caminhoneiros dizem que só saem depois que Alckmin reduzir pedágio

protesto - Rua do Adubo
Caminhoneiros fecham o acesso às duas margens do Porto de Santos, o mais importante do País, desde as 8 horas desta segunda-feira. Em Santos, o bloqueio ocorre na Alemoa, na Avenida Engenheiro Augusto Barata (Retão da Alemoa). Em Guarujá, a Rua Idalino Pinês (Rua do Adubo) está fechada e um grupo bloqueia o pedágio da Rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-248/55).
A categoria, na contexto das demais manifestações pelo País, pedem a redução da tarifa nos pedágios do Estado. “O protesto ocorre por tempo indeterminado. Esperamos que o governador (Geraldo Alckmin) atenda o nosso pedido”, disse o caminhoneiro Rodrigo Evangelista da Silva, que participa do bloqueio no pedágio da Domênico Rangoni.
Segundo a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), o Retão da Alemoa está completamente parado. Nenhum caminhão entra ou sai do maior e mais importante complexo portuário do Brasil. No entanto, a estatal informa que a operação nos terminais ocorre normalmente, sem qualquer prejuízo às cargas contêinerizadas. A chuva, no entanto, prejudica o embarque dos grãos.
Em Guarujá, diferentemente do que é comum, a Rua do Adubo não registra congestionamento, seque passagem de veículos comerciais. O bloqueio no pedágio impede que caminhões e carros sigam em direção a Guarujá ou a Cubatão. A Polícia Militar e Polícia Militar Rodoviária Estadual (PRE) acompanham todos os atos, sem interferir ou confrontar os manifestantes.
Protesto
Começou nesta segunda-feira nas rodovias do Estado a cobrança do pedágio de todos os eixos dos caminhões, sejam eles utilizados ou não nas viagens. Convocado pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), os protestos servem para mostrar a insatisfação de quem ganha a vida na estrada com a cobrança dos eixos.
Todo caminhoneiro que desce a serra pela Via Anchieta paga R$ 21,20 por eixo. Contudo, em muitos casos, o caminhão anda com três eixos no chão e outros três levantados, se estes não são usados. O pedágio ficava em R$ 63,60, no caso. Os seis eixos, a partir de agora, serão cobrados e o pedágio será de R$ 127,20.
O Governo do Estado não dá sinais de que possa voltar atrás na cobrança. No anúncio da mudança, semana passada, uma nota oficial informou que “todos os eixos dos caminhões estarão tarifados, assim como já acontece em todas as rodovias federais”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário