Palestra para Motoristas

Palestra para Motoristas
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

HANNOVER: Euro 6 usa duas tecnologias ao mesmo tempo nos motores


bus
A entrada em vigor dos novos padrões de tecnologia Euro 6 na Europa, mais rigorosos que o Euro 5, que começou a vigorar este ano no Brasil, tem sido o principal tema do Salão de Hannover 2012, a maior feira mundial de veículos comerciais. Para atender às exigências mais complexas, novos motores conjugam duas tecnologias diferentes: recirculação de gases de escape e redução catalítica seletiva. Scania foi uma das empresas que mais apresentaram novidades, com modelos urbanos e rodoviários.
Foto: Divulgação Scania.
Euro 6 é principal assunto em Feira Internacional de Hannover
Marcas apresentam lançamentos de veículos comerciais que poluem menos. Scania lança motores para ônibus e caminhões com tecnologia de recirculação de gases e que usa ARLA ao mesmo tempo
ADAMO BAZANI – CBN
Enquanto o Brasil ainda se adapta às novas normas do Proconve – Programa de Controle da Poluição por Veículos Automotores, que se baseiam nas regras de restrição à emissão de poluentes Euro 5 para veículos pesados movidos a diesel, os países europeus já entram numa era mais avançada, a Euro 6.
A diferença é que o Euro 6 é mais rígido, impõe limites para que a poluição seja menor ainda, e conta com tecnologias mais complexas.
Por exemplo, o Euro 5, que começou a ser padrão dos veículos fabricados no Brasil, exige que os motores adotem tecnologias que tratem os gases de escape. O mercado brasileiro usa duas opções: SCR que traduzindo para o Português significa Redução Catalítica Seletiva e EGR, que é a Recirculação de Gases de Escape.
O sistema de Recirculação realiza uma espécie de tratamento térmico, com trocas de calor, que conseguem condensar e eliminar os poluentes. Já para a Redução Catalítica, a tecnologia conta com a adição de um líquido no sistema de escape que provoca reações químicas que reduzem os poluentes. Este líquido é o ARLA – Agente Redutor Líquido Automotivo, com 32,5% de uréia industrial. Essas tecnologias ainda representam dúvidas para os frotistas brasileiros.
Como os parâmetros europeus são mais rigorosos, no Euro 6, há motores que usam de forma conjugada a Redução Catalítica Seletiva e a Recirculação de Gases de Escape.
E as normas Euro 6 têm sido o principal assunto do IAA 2012, o salão de veículos comerciais em Hannover, na Alemanha, considerado um dos maiores do setor.
A Scania, por exemplo, apresentou os motores com as duas soluções, tanto pra caminhões como para ônibus.
Há motores de 320 e 360 cavalos, de 9 litros, só com ao sistema SCR. Ainda na categoria de motores de 9 litros, os de 250 e 280 cavalos conjugam as duas tecnologia. Os dois motores novos de 13 litros Euro 6, de 440 e 480 cavalos, também usam conjuntamente as tecnologias EGR (recirculação de gases de escape) e SCR (redução catalítica seletiva).
Além de motores a diesel que já seguem os padrões Euro 6, a montadora sueca expõe veículos movidos a gás, biogás, e etanol.
Estes motores são montados de forma longitudinal nos caminhões e ônibus de piso convencional e transversal nos modelos urbanos Scania Citywide, de piso baixo.
FAMÍLIAS DE ÔNIBUS:
O IAA 2012, que vai até dia 27 de setembro, tem sido a oportunidade de diversas montadoras apresentarem novos produtos, incluindo ônibus com mais acessibilidade e ao mesmo tempo maior capacidade de transporte.
Inicialmente, os ônibus acessíveis tinham poucos assentos por conta dos espaços para cadeiras de rodas, cão guia e equipamentos para embarque e desembarque, como rampas ou elevadores em portas mais largas.
Mas a engenharia automotiva nos ônibus tem conseguido soluções para aproveitar melhor o espaço interno dos veículos: sem aumentar o tamanho da carroceria e sem diminuir significativamente os espaços entre as poltronas, os ônibus acessíveis aos poucos vêm ganhando mais assentos.
Com vistas à acessibilidade, a Scania lançou a linha de ônibus Citywide para o mercado europeu. Os veículos têm piso baixo, que permitem embarques na altura da guia da calçada, facilitando o acesso. São três modelos: Citywide LE (Low Entry), de dois ou três eixos, conceito usado no Brasil, no qual o piso baixo vai até a metade do ônibus, Citywide LE (Low Entry) articulado e Citywide LE (Low Floor) de dois eixos ou articulados, com piso baixo em toda a extensão do veículo. Os ônibus Scania Citywide LE e Citywide LE articulado têm motores longitudinais e os da linha Citywide LF apresentam disposição transversal. Os propulsores são de 9 litros e 360 cavalos.
O Scania OmniExpress também é outra novidade . A aplicação é mais indicada para serviços interurbanos e rodoviários de curtas e médias distâncias. O veículo é vendido completo, ou seja, com carroceria da empresa Omini e chassi da Scania. Aqui no Brasil, com exceção do minionibus, os veículos de transporte coletivo são adquiridos em etapas: o empresário tem de comprar o chassi e a carroceria separadamente. O Scania OmniExpress tem motores de 9 litros com 360 cavalos e de 13 litros com 480 cavalos. Há várias versões de comprimentos e alturas.
Tradicional na marca, o Scania Touring HD, rodoviário para grandes distâncias, está com o motor renovado, menos poluente, com 13 litros rendendo 480 cavalos. As versões de tamanho vão de 12 metros de comprimento para veículos com dois eixos até 13,7 metros com três eixos.
O modelo Scania Higer A 30 é um ônibus voltado para linhas menores e serviços regulares, como transporte escolar, linhas pequenas e médias e fretamento. A empresa garante que o modelo oferece mais economia por ser indicado para essas operações, sem desperdiçar potência e combustível.
Esses modelos são para o mercado Europeu e já seguem as especificações Euro 6 de restrição a emissão de poluentes.
São indicados paras as condições européias, que são diferentes da realidade operacional brasileira, mas muitos conceitos de acessibilidade, motorização e engenharia acabam sendo aproveitados no Brasil, que futuramente terá de aderir às normas Euro 6.
Publicado em 24/09/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Marcopolo apresenta Viale BRT Híbrido na IAA 2012, na Alemanha


A Marcopolo, uma das principais empresas mundiais no desenvolvimento de transporte público terrestre, apresentará na IAA 2012, o ônibus Viale BRT com tração híbrida (diesel/gás natural). O veículo será exposto no estande da MAN, no pavilhão da empresa na IAA, no período de 21 a 26 de setembro, em Hannover, na Alemanha.
Segundo Rodrigo Pikussa, diretor de exportação da Marcopolo, o projeto do Viale BRT híbrido é baseado na tendência internacional de pesquisa por alternativas que permitam a mobilidade veicular com preservação do meio ambiente. O novo Viale BRT é equipado com chassi MAN 17.280, com propulsor alimentado com diesel de baixo teor de enxofre ou gás natural (GNV), instalado na parte traseira do veículo, o que contribui para melhor distribuição de peso e conforto para os passageiros.
Com 12.455 mm de comprimento, o Viale BRT Híbrido tem capacidade para transportar 90 passageiros, sendo 51 sentados e 39 em pé. O modelo é equipado com transmissão automática, poltronas com encosto de cabeça, com descansa-braços e descansa-pés, três lixeiras no salão de passageiros, sirene de marcha à ré, sistema de gerenciamento de frota e sistema de iluminação interna em LEDs. Conta ainda com sistema de acessibilidade com elevador e espaço para cadeira de rodas com cinto de segurança de três pontos.
“Diversos estudos mundiais indicam a necessidade de utilização de ônibus modernos, confortáveis, silenciosos, eficientes e que gerem o mínimo possível de custos e de impactos ao meio ambiente. O Viale BRT Híbrido proporciona todos estes atributos para os usuários”, destaca Pikussa.
Fonte: Marcopolo

domingo, 16 de setembro de 2012

Ônibus terão sistema de reconhecimento facial



onibus

Ônibus urbanos em Caruaru terão de forma inédita equipamentos de reconhecimento facial dos passageiros. Os objetivos são organizar os transportes e evitar fraudes. Sistema também vai fornecer em tempo real, dados que vão desde cumprimento de itinerários e horários, quilometragem morta, consumo de combustível instantâneo e médio, quebra de veículos e até se os ônibus estão trafegando com portas abertas, limpadores de para-brisa e faróis desligados. Instalação será gradativa e a título de testes. Estes dados podem ser usados para novas programações e estudos.
Ônibus urbanos terão sistema de reconhecimento facial
Equipamentos serão testados em ônibus de Caruaru (PE) e podem ser usados posteriormente em qualquer cidade brasileira
ADAMO BAZANI – CBN
A cena de aparelhos que reconhecem o rosto das pessoas para liberar os acessos saiu dos filmes de ficção científica e de ação e agora vai ser comum nos ônibus urbanos.
A Transdata, empresa de bilhetagem eletrônica, monitoramento e tecnologia voltada para os transportes, vai testar nas próximas semanas um sistema de reconhecimento facial de passageiros dos ônibus do transporte municipal de Caruaru, em Pernambuco.
Os equipamentos serão colocados gradativamente nos 130 ônibus da cidade.
Será possível identificar se o passageiro que está com o cartão para idoso ou para estudante, que garantem isenção ou desconto na tarifa, é realmente o portador real do benefício.
Segundo a Transdata, as fraudes pelo uso destes cartões por pessoas que não têm direito podem comprometer cerca de 50% das receitas dos sistemas de transportes , o que prejudica investimentos em melhorias para os próprios passageiros.
Se o equipamento não reconhecer a pessoa, a catraca do ônibus não vai ser liberada e o passageiro deve se identificar ao motorista que será treinado para atender eventuais bloqueios.
Para que o sistema funcione, será implantada uma nova bilhetagem eletrônica compatível ao equipamento de reconhecimento facial.
Será possível também a comunicação em tempo real, por 3 G, entre o motorista do ônibus e o Centro de Controle Operacional, que pode informar ocorrências como acidentes e congestionamentos.
Mas o Sistema de Gestão Inteligente de Transporte permite que o controle de tráfego tenha acesso a outras informações, mesmo sem o motorista reportá-las. Por telemetria (medições à distância), dados como quebras dos veículos, defeito nos equipamentos e o acionamento do botão de pânico são repassados para uma ação corretiva em tempo real.
Se forem detectados problemas constantes, os dados podem ser usados para a elaboração de novos planejamentos ou ações corretivas.
O sistema também consegue registrar parâmetros como quantidade de paradas durante o trajeto, quilometragem morta (quanto o ônibus trafega sem prestar serviços), consumo de combustível (a média e em tempo real), cumprimento de horários, fluxo de passageiros em todos os pontos, se o ônibus está operando com portas abertas (o que é proibido), se os faróis estão apagados e os limpadores dos para-brisas estão ligados.
A formação de comboios, filas de ônibus numa mesma linha por conta de trânsito e acidentes, pode ser evitada pelo gerenciamento em tempo real. Se um ônibus fica parado no trânsito, os demais podem seguir por rotas alternativas emergenciais previamente programadas.
A Associação das Empresas de Transporte de Caruaru também vai contratar um Data Center que vai armazenar todos os dados gerados em tempo real. Se muitas ocorrências se repetirem, é sinal de que algo precisa ser melhor estudado e alterado.
Os ônibus também terão GPS para informações quanto à localização dos veículos e velocidade.
Publicado em 16/09/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

São Paulo terá 100 trolebus BRT de 15 metros até novembro



trolebus
Trólebus Scania 15 metros já em operação na cidade de São Paulo. De acordo com Wilson Pereira, gerente nacional de vendas da Scania, ao Blog Ponto de Ônibus, até novembro cem unidades do veículo que aumenta a oferta de lugares e reduz a poluição já estarão circulando na Capital.
São Paulo terá 100 trolebus de 15 metros Scania até novembro
Encarroçados com o modelo Millennium BRT, ônibus elétricos vão ajudar na redução da poluição e aumento na oferta de vagas no sistema de trólebus da Capital Paulista
ADAMO BAZANI – CBN
A frota de ônibus elétricos da Capital Paulista vai receber até novembro deste ano mais 100 veículos totalmente não poluentes.
Cinquenta unidades já foram concluídas e outras cinquenta estarão com a operadora Ambiental Trans, do Grupo Ruas, que presta serviços na zona Leste de São Paulo e na região central, até o mês de novembro.
A informação foi revelada neste domingo ao Blog Ponto de Ônibus pelo gerente nacional de vendas de ônibus da Scania do Brasil, Wilson Pereira.
“Foram três anos de desenvolvimento deste projeto. Já há unidades na capital paulista e na região do ABC (Corredor ABD – operado pela Metra). É uma solução de peças que variam do ônibus Scania e dotada de toda tecnologia para receber o sistema elétrico e o motor a eletricidade” – disse Wilson Pereira.
Os trólebus são de 15 metros de comprimento e contam com um terceiro eixo direcional que permite que a carroceria tenha este porte e que garante melhor dirigibilidade ao veículo, além de fazer com que no mesmo ônibus mais pessoas possam ser transportadas de forma confortável.
A carroceria é modelo Millennium BRT, um modelo mais novo que o atual Millennium da Caio.
Por ser um veículo diferenciado cujo chassi é uma solução de peças para o trólebus, a homologação se dá na encarroçadora de Botucatu, no interior Paulista.
O motor elétrico e Weg e o sistema é da Eletra, empresa de São Bernardo do Campo.
“É extremamente interessante este programa da EcoFrota, da Capital Paulista, cujo o objetivo é fazer com que os ônibus de São Paulo sejam o menos poluentes possíveis. O trólebus é cem por cento livre de emissões” – complementou Wilson Pereira.
Trólebus do mesmo modelo da Scania também vão circular no ano que vem no Corredor ABD que liga São Mateus, na Zona Leste de São Paulo, a Jabaquara, na zona Sul, passando por Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema.
EXPORTAÇÕES:
Os trólebus brasileiros da Scania já despertam interesse de outros países e as exportações estão em negociação, de acordo com Wilson Pereira.
Países como Argentina, Colômbia e Nova Zelândia já consultaram a fabricante de São Bernardo do Campo.
Os trólebus possuem piso baixo, o que garante acessibilidade, espaço para cadeira de rodas e cão guia, sistema de ar condicionado mais avançando e características mecânicas que refletem em mais conforto para os passageiros e motorista.
“O trólebus é bem mais silencioso e confortável. Não há trancos e as frenagens são mais seguras e suaves. A Scania já possui um histórico com chassi usado para trólebus. Nós pegamos nossa experiência, os mais modernos conceitos e entregamos um produto mais completo para o mercado” – finalizou Wilson Pereira.
Publicado em 03/06/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

Empresa norte-americana de componentes de ônibus se instala em Lorena



onibus

Metalcrafters, com sede nos Estados Unidos, produz equipamentos e componentes para motores e sistemas elétricos de ônibus, caminhões, vans, para a indústria aeroespacial, peças para brinquedos de parques temáticos, além de participar do desenvolvimento e da produção de protótipos para a indústria de carros, antes da fabricação em escala comercial. A ida da Comil para Lorena, no Interior Paulista, foi o principal fator para a norte-americana escolher a cidade do Vale do Paraíba. Foto ilustrativa.



Empresa norte-americana de componentes de ônibus vai se instalar em Lorena/SP
Metalcrafters foi atraída pela instalação da encarroçadora Comil na cidade. Proximidade com outras fábricas também pesou na decisão.
ADAMO BAZANI – CBN

Depois de receber a encarroçadora de ônibus Comil, a cidade de Lorena, no interior Paulista, vai ter mais uma fábrica ligada à produção de ônibus.
Trata-se da norte-americana Metalcrafters que vai produzir inicialmente no Vale do Paraíba peças para motores elétricos de ônibus, caminhões e vans. Nos Estados Unidos, a empresa também produz componentes para a indústria aeroespacial.
É a primeira unidade da Metalcrafters fora do Brasil. Para se instalar num terreno de 40 mil metros quadrados em Lorena, a empresa vai investir cerca de R$ 15 milhões.
A empresa teve o apoio da prefeitura de Lorena e do programa do Governo do Estado de São Paulo voltado para o desenvolvimento industrial e atração de novos recursos, Investe São Paulo.
Em nota divulgada à imprensa, o presidente do Investe São Paulo, Luciano Almeida, disse que a escolha de Lorena pela fabricante de carrocerias Comil foi fundamental para os investimentos da Metalcrafters.
“Esse investimento da Metalcrafters é estratégico para o Estado de São Paulo, pois trará inovação à indústria paulista. Com a chegada da Comil a Lorena começa a segunda onda de investimento, que é a chegada dos fornecedores. Isso trará um novo ciclo de desenvolvimento econômico para a região, com a geração de empregos e o aumento da renda da população” – disse Luciano Almeida.
A Comil vai instalar no ano que vem, com investimentos de R$ 110 milhões, uma fábrica de carrocerias de ônibus urbanos num terreno de 210 mil metros quadrados.
A unidade de Erechim, no Rio Grande do Sul, sede da Comil e que hoje concentra todos os produtos da marca vai se dedicar à produção de ônibus rodoviários. Com as duas plantas vai aumentar a capacidade de fabricação total da Comil tanto de urbanos como de rodoviários.
A Metalcrafters do Brasil tem como presidente Edgardo Vieytes. Segundo ele, inicialmente a empresa vai se dedicar aos componentes de motores e sistemas de eletricidade de ônibus, caminhões e vans, mas que a companhia já se prepara para atender a cadeia aeroespacial do interior Paulista, além de produzir compósitos de fibra de carbono, resina vegetal e resina de fibra de vidro feita a vácuo.
De acordo com o Investe São Paulo, a presença de uma fabricante como a Metralcrafters que vai trazer a experiência norte-americana enriquece o nível dos produtos industrializados no Estado.
Para se ter uma ideia, a Metalcrafters participou do desenvolvimento de diversos modelos de carro, como o Veloster e o ix 35, da Hyundai, a minivan Soul, da Kia, e o Eclipse, da Mitsubishi.
No ramo automotivo, a empresa também faz protótipos e atua desde a engenharia e o design dos carros até a produção de modelos inteiros para feiras, exposições e salões do automóvel. As montadoras encomendam os carros a Metalcrafters antes de eles serem produzidos em escala comercial.
Em outros ramos, atua nos setores de transportes coletivos de passageiros, transportes de cargas, aviação e grandes brinquedos de parques temáticos, como roda gigante e montanha russa.
Ela foi fundada em 1979 e sua sede é Fountain Valley, Califórnia.
Apesar de toda esta experiência internacional, que vai ser usada na fábrica, a Metalcrafters diz que 90% de sua produção será nacionalizada e que inicialmente vai gerar 100 empregos diretos.
EMPRESA JÁ MIRA EM OUTROS PARCEIROS:
A Comil será uma das clientes da Metalcrafters, mas a empresa vai buscar novos parceiros.
Este foi um dos motivos da escolha por Lorena. A cidade do Vale do Paraíba fica às margens da Rodovia Presidente Dutra e perto de montadoras que estão também no Vale, como a Volkswagen, em Taubaté, General Motors, em São José dos Campos, e a futura planta da Chery, em Jacareí. A cidade também fica próxima da fabricante de aviões nacionais, Embraer.
O que também chamou a atenção da encarroçadora de ônibus Comil, foi levado em conta pela fabricante de componentes: a oferta de mão de obra qualificada e o desenvolvimento de pesquisa tanto por escolas de formação técnica como universidades do Vale do Paraíba.
O Investe São Paulo está auxiliando a Metalcrafters em informações sobre o setor industrial brasileiro, no contato com os órgãos públicos e assessorando no processo de licenciamento ambiental e na obtenção de infraestrutura.
Publicado em 31/08/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus