Palestra para Motoristas

Palestra para Motoristas
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Empresas estrangeiras querem vender VLT para sistema de Santos

VLT
VLT de Bodeaux. A EMTU recebeu nesta sexta-feira as propostas de duas empresas e dois consórcios interessados em fabricarem e venderem VLTs para o Governo do Estado de São Paulo. Os veículos devem ligar o Porto de Santos até o Terminal Barreiros, em São Vicente. O governo estima desembolsar R$ 284 milhões para comprar 22 veículos. Todo o sistema deve custar R$ 855 milhões e ter 15 quilômetros. A capacidade de atendimento na primeira fase será de 70 mil passageiros por dia.
Duas empresas e dois consórcios entregam propostas para VLT de Santos
Empresas devem vender 22 Veículos Leves sobre Trilhos para o Governo do Estado de São Paulo. Linha vai unir municípios de Santos e São Vicente.
ADAMO BAZANI – CBN

Duas empresas e dois consórcios entregaram nesta sexta-feira, dia 27 de julho de 2012, as propostas para venda ao Governo do Estado de São Paulo de 22 VLTs – Veículos Leves sobre Trilhos.
Participam oficialmente da licitação:
EMPRESAS:
- Construcciones Y Auxiliar de Ferrocarriles S.A.
- Pojazdy Szynowe Pesa Bydgoszcz.
CONSÓRCIOS:
- Consórcio Alstom: formado por Alstom Brasil Energia e Transporte Ltda e Alstom Transport S.A.
- Consórcio TREMVIA SANTOS: constituído por Trans Sistemas de Transportes S.A. e Vossloh España S.A.
Os veículos vão operar a primeira fase do SIM – Sistema Integrado Metropolitano entre o Porto de Santos e o Terminal Barreiros, em São Vicente, além do trecho entre Conselheiro Nébias e Valongo, em Santos.
A vencedora deve ter o nome divulgado em setembro deste ano. O primeiro veículo deve ser entregue em abril de 2014 e a frota completa até março de 2015.
O Governo do Estado estima investir só nos veículos R$ 284,3 milhões.
Também será realizada a licitação para o fornecimento de sistemas de energia, sinalização, telecomunicações, bloqueios, controle de tráfego, catracas e guichês. O edital deve ser publicado na próxima semana.
DIVERSAS LICITAÇÕES PARA O SISTEMA:
O VLT de Santos ou da Baixada Santista, como é popularmente chamado o SIM – Sistema Integrado Metropolitano, tem sua implantação em diversas etapas.
Além destas duas licitações, a da venda dos trens e da sinalização e outros equipamentos, há os certames para os projetos e obras.
Em agosto deste ano, o Consórcio Projeto VLT deve concluir o projeto executivo que elabora desde fevereiro, para o trecho de 11 quilômetros entre o Terminal Barreiros (São Vicente) e o Porto (Santos).
Até setembro deste ano, o Consórcio Projetos SIM RMBS deve concluir:
- Projeto básico e executivo do trecho Conselheiro Nébias a Valongo (4 quilômetros)
- Projeto básico entre Barreiros e Samaritá (7,4 quilômetros) e entre Conselheiro Nébias e Ponta da Praia.
- Projeto Funcional entre Samaritá e Terminal Tatico (7 quilômetros).
Depois de problemas judiciais e de falta de estudo de impacto ambiental e urbano, a licitação para as obras foi retomada em abril, com a entrega da documentação técnica para a pré – qualificação das empresas interessadas em realizar as intervenções.
São cinco consórcios habilitados. A fase agora é a de análise de recursos das participantes.
A previsão do Governo quanto às obras é a seguinte:
- Até agosto: publicação dos dois editais de contração dos Consórcios que devem fazer as obras entre Barreiros (São Vicente) – Porto (Santos), que é o trecho prioritário, e a extensão entre Conselheiro Nébias e Valongo.
- Setembro / Outubro: Início das obras.
- Primeiro Semestre de 2014: entrega das obras.
Os prazos podem ser modificados com o tempo por fatores como entraves jurídicos, alterações climáticas para as obras ou problemas na execução das intervenções.
O SIM/VLT (Sistema Integrado Metropolitano/Veículo Leve sobre Trilhos) deve em seus 15 quilômetros custar R$ 855 milhões. A capacidade total de atendimento será de 70 mil passageiros por dia na primeira fase e será integrado às linhas de ônibus municipais e intermunicipais do Litoral Paulista. Para isso, o Governo do Estado promete criar infraestrutura que deve contar com estações de transferência, terminais, pontos de parada com acessibilidade para pessoas com deficiência física, auditiva ou visual, além de ter uma ciclovia em parte de seu percurso.
A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos – estima com a obra reduzir em até 23% a frota de ônibus intermunicipal entre Santos e São Vicente, com o número de linhas caindo de 52 para 32.
O poder público também promete a redução de tempo de viagem e integrações tarifárias com o VLT.
Os veículos, cuja audiência de entrega de propostas para fornecimento ocorreu nesta sexta-feira, devem ter capacidade de transportar 400 passageiros. A largura de cada composição será de 2,65 metros e o comprimento de 44 metros.
A velocidade média que pode ser empreendida pelos VLTs deve ser de 25 quilômetros por hora e a máxima será de 80 quilômetros por hora.

Publicado em 27/07/2012 por Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes. Blogpontodeonibus

Nenhum comentário:

Postar um comentário