Palestra para Motoristas

Palestra para Motoristas
Arquivo: HighPluss Treinamentos, 2017.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

MERCADO DE ÔNIBUS DE DOIS ANDARES VAI SE TORNAR MAIS COMPETITIVO COM COMIL CAMPIONE DD

Novo ônibus de dois andares da Comil promete aquecer concorrência no segmento de carrocerias de luxo
Veículo vai ser comercializado a partir de fevereiro e vai disputar mercado numa categoria na qual praticamente há um fabricante
ADAMO BAZANI – CBN
O Comil Campione DD (Double Decker), com dois andares, e o LD (Low Driver), com o salão de passageiros num nível acima do motorista e bagageiros maiores, têm muito mais que o significado de serem os primeiros ônibus dessa categoria diferenciada e de alto luxo desta geração da encarroçadora de Erechim, no Rio Grande do Sul.
Os modelos, em especial o DD, surgem num momento crucial para o mercado de ônibus: o de crescimento.
Apesar de as estimativas para o ano que vem serem de queda que pode chegar até a 10% na produção de carrocerias, mais como um ajuste de mercado pelo fato de o ano de 2011 ter sido muito aquecido, as vendas de ônibus continuarão expressivas.
E a Comil sabe que vai disputar mercado numa categoria onde praticamente hoje só há um produtor: a Marcopolo, com seu Paradiso da Geração Sete.
A Busscar produzia o Panorâmico DD, mas a encarroçadora, com dívidas e situação financeira-jurídica delicada (se não se der bem no período de recuperação judicial vai ter a falência decretada), não têm capacidade de atender a grandes pedidos.
O clima é de otimismo na Comil por conta do Campione DD.
Comil Campione DD
Comil Campione DD será o primeiro ônibus de dois andares da encarroçadora de Erechim, do Rio Grande do Sul e vai reunir o melhor da linha de rodoviários da empresa, como materiais mais leves que desgastam menos o motor, peças e proporcionam economia de combustível, e design agradável. Só a finalização do projeto demandou 1 ano de trabalho: Foto: Divulgação
O diretor geral da Comil, Silvio Calegaro, conversou com a reportagem de Adamo Bazani e confirmou os primeiros veículos já para fevereiro de 2012.
“O DD da Comil representa maturidade da empresa. Vamos atuar e temos condições de atender um mercado no qual o cliente é mais exigente ainda” – disse Silvio Calegaro.
Ele conta que a produção de ônibus de dois andares com aplicação rodoviária já era um desejo antigo da Comil, mas que foi se desenvolvendo. Somente a finalização do projeto durou cerca de 1 ano, segundo Silvio Calegaro.
“Apresar do tempo de desenvolvimento até rápido, o DD (Double Decker) é fruto de toda a história da Comil, não só desde 1985, mas também entra toda a história, o esforço e o profissionalismo de quem atuava desde a Incasel (antiga encarroçadora que foi arrematada pelas famílias fundadoras da Comil)”
CRESCIMENTO
Silvio Calegaro destacou o crescimento da Comil, que nos últimos meses alcançou 40% em faturamento e 25% em produção.
Essa diferença entre crescimento de faturamento e produção se explica pelo fato de terem sido vendidos veículos de maior valor agregado. E a linha de rodoviários Campione é o que motivou este crescimento.
Com maior demanda por ônibus (devido ao crescimento econômico, licitações, antecipação de renovação de frota por conta da entrada de novas normas de combate a poluição que deixam os ônibus mais caros, investimentos em mobilidade, entre outros fatores), sem a concorrência da Busscar e com o aperfeiçoamento e modernização da linha do Campione, o modelo corresponde às necessidades atuais do mercado.
A atual geração do Campione traz peças mais leves e modernas, materiais que podem ser usados em comum entre as diversas categorias do ônibus e um design mais agradável e menos “agressivo” como era considerada a antiga geração do Campione.
Estes atributos, como os materiais que deixam as carrocerias mais leves, o que reflete em menos gasto de combustível, peças, menos manutenção e melhor aproveitamento do motor devem estar presentes nas versões DD e LD do Campione.
A linha urbana também tem atraído mercado maior. E neste segmento, a Comil disputa com gigantes tradicionais, como Caio (líder nos urbanos) e Marcopolo, e com empresas que têm realizado consideráveis investimentos, como a Neobus e a Mascarello.
“Os modelos Svelto (convencional) e Svelto Midi (micrão) possuem uma ótima relação custo/benefício. O preço é muito bom, a manutenção e limpeza da carroceria são fáceis e o produto é resistente. Não é a toa que os modelos estão presentes em vários planos de renovações de frota por rodo o Brasil” – conclui Silvio Calegaro.
Além dos modelos Svelto e Svelto Midi, a linha de urbanos conta com o Doppio, para chassis articulados.
Quanto ao Double Decker, o mercado dá sinais que este tipo de ônibus de mais categoria terá um espaço maior: a licitação da ANTT (que vai abranger praticamente todo o sistema de ônibus rodoviários de linhas interestaduais e internacionais), o crescimento da renda e do turismo, as expectativas quanto a Copa do Mundo e Olimpíadas de 2016 que devem aumentar o setor de fretamento para clientes mais exigentes em traslados e viagens, são alguns dos fatos que explicam esse otimismo para a categoria de ônibus de alto valor agregado.

Fonte: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes, Blogpontodeonibus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário